O presidente norte-americano, Donald Trump, prestou hoje homenagem aos soldados dos Estados Unidos mortos na I Guerra Mundial, no cemitério de Suresnes, nos arredores de Paris, onde estão enterrados mais de 1.500 militares.

Trump chama a atenção em Paris com uma conversa e duas ausências

Presidente americano não visitou um grande cemitério de soldados americanos nem participou num Fórum Multilateral pela Paz. Mas terá tido uma breve conversa com Putin.

Marcelo defende multilateralismo em aula aberta no Fórum da Paz de Paris

O Presidente da República defendeu o multilateralismo como "única forma de resolver os problemas do mundo", numa aula aberta para alunos d...

Trump boicota primeira edição do Fórum pela Paz em Paris - França - RFI Trump boicota primeira edição do Fórum pela Paz em Paris

Paris inaugurou na tarde deste domingo (11) o primeiro Fórum pela Paz, evento que discute a questão do multilateralismo e que abre suas portas no dia da celebração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial....

Ameaça do nacionalismo para a paz assinalada por Macron e Merkel

O mundo em que vivemos está fragilizado pelas crises que desestabilizam as nossas sociedades, sublinhou o chefe de Estado francês na abertura do Fórum de Paris sobre a Paz. - Política, Correio da Manhã.

Paris, 11 nov (Lusa) -- A ameaça do nacionalismo para a paz no mundo foi assinalada hoje pelo presidente francês, Emmanuel Macron, e pela chanceler alemã, Angela Merkel, na abertura do Fórum de Paris sobre a Paz.

Após críticas, Trump visita cemitério de soldados americanos em Paris

No sábado, presidente não foi à homenagem aos mortos de guerra porque estava chovendo

Manifestação anti-Trump em Paris sob alta vigilância

Nacionalismo marca centenário do fim da Grande Guerra. Trump e Putin fora do cortejo em Paris

As comemorações do centenário do armistício, na capital francesa, realçaram o regresso do nacionalismo e a crise das instituições multilaterais. 70 chefes de Estado e de Governo chegaram juntos, em autocarro, ao Arco do Triunfo. Mas os presidentes Donald Trump e Vladimir Putin optaram por desfilar em separado. O Presidente Marcelo foi num autocarro oficial mas é contra o Exército europeu proposto por Emmanuel Macron

E assim se falha o simbolismo do momento. Macron e líderes mundiais chegam atrasados às comemorações do armistício

As comemorações do Armistício da Primeira Guerra Mundial, que reúne em Paris líderes mundiais, começaram depois da hora prevista, falhando o simbolismo do momento em que há 100 anos o silêncio da paz substituiu o estrondo das armas.

Marcelo convidou Trump para vir a Portugal? “Havemos de falar disso”

“Vamos ver. Havemos de falar disso”, respondeu o Presidente da República, sobre se convidou ou não Donald Trump para visitar Portugal. Coincidiram nas comemorações do fim da Primeira Guerra e num jantar com "grande distenção". Quanto à ausência de Trump do Forum da Paz, Marcelo diz que "Portugal não depende da presença alheia para fazer o que tem que fazer"

As celebrações dos cem anos do armistício

A cerimónia, que teve início à 11.ª hora, do 11.º dia do 11.º mês, como o cessar-fogo em 1918, honra militares e homenageia os mortos. Marcelo Rebelo de Sousa está presente. - Mundo , Sábado.

Cem anos do Armistício: Um americano em Paris a celebrar o fim da guerra sem discutir a paz

Donald Trump veio a Paris para as cerimónias do fim da Primeira Guerra Mundial e trouxe com ele uma polémica sobre a defesa europeia. Líder dos EUA é o grande ausente do Fórum da Paz organizado por Macron.